Site Feedback

Dor da passada 1

Dor da passada
Com seu terno novo Bram estava diante do espelho. O alfaiate, o Sr. Cohen, sorrindo com orgulho no fundo e disse: ‘"Olhe para o mais lindo da família".
Ele imediatamente tive um pouco de arrependimento. Pois Bram não tinha mãe e não pai e não irmãos. Aqueles foram todos gaseados. Só ele tinha sobrevivido à guerra, como um menino pequeno, bom escondido numa fazenda em Friesland.
Você fica com isso?" perguntou o alfaiate.
É claro," Bram disse, "Eu vou dançar hoje à noite." `Amigo, as mulheres vão lutar por você", prometeu o Sr. Cohen.
Para o Bram isso não precisa. Porque as últimas semanas, ele dançou todos os sábados durante toda a noite com a mesma garota. Ansje ela se chamou. Ele a encontrou nas aulas de dança - bem, o amor era uma palavra grande, mas ainda assim. . .
Espero que ela é lá hoje à noite, pensou ele, no bonde para a cidade.
Era assim. A banda tocou “Que coisa é essa, chamado amor”, e em seus braços, ela disse que pensou que era um belo terno. "Sim, que o homem tem um bom corte", disse Bram.
Foi uma noite agradável. Eles dançaram muito, mas passaram, as vezes, uma dança para falar – ela de escritório, onde ela trabalhou sob uma patroa insuportável, e ele dos traços finos dos contratos de seguro, que ele ganhou seu pão . Quando a sala de dança se fechou ele a trouxe para casa pela primeira vez, mas o clima era tão legal, que era obvio.
"Fica aqui", disse ela. "Se você gosta duma café, você pode bom vir acima com toda a honra e respeito evidamente.
Mas silenciosamente nas escadas, para não acordar a senhora. Entraram em seus dedos para cima, dando risadinhas suprimidas.
“Então podemos fazer normalmente,” ela disse quando eles estiverem na seu quarto.
“Você o tem decorado engraçado,” ele achou.
Todos coisas da casa paterna,” ela respondeu. “Sente se. Precisa um momento de fazer café”
Ela disparou na cozinha pequena. De bom humor Bram caminhando para o quarto. Ela era verdadeiramente uma moça gentil e tem uma figura bonita.
“Olhe,” Ele disse, antigamente meus pais tinham um mesmo piano. Assim mesmo. Também com esses pilares esquisitos de cada lado”.
“Você o joga por vezes?” ela demandou para fora de cozinha. “Não, pois não é desaparecido,”ele disse. “Nossa casa fora esvazibombada” É assim que eles o chamavam na guerra.

Continuação: dor de passada 2

Share:

 

0 comments

    Please enter between 0 and 2000 characters.

     

    Corrections

    Dor da passada 1

    Dor da passada

    Com seu terno novo, Bram estava diante do espelho.

    O alfaiate, Sr. Cohen, sorrindo com orgulho profundo, disse: ‘"Olhe para o mais lindo da família".
    Ele, imediatamente teve um pouco de arrependimento, porque Bram não tinha mãe, pai e irmãos. Estes foram todos gaseados. Só ele tinha sobrevivido à guerra, como um pequeno menino, bem escondido numa fazenda em Friesland.
    "- Você fica com esse?" perguntou o alfaiate.
    " - Claro," disse Bram.

    " - Eu vou dançar hoje à noite."

    " - Amigo, as mulheres vão lutar por você", prometeu o Sr. Cohen.
    Para o Bram isso não era necessário, porque nas últimas semanas, ele dançou todos os sábados, durante toda a noite, com a mesma garota. Ansje era o nome dela. Ele a encontrou nas aulas de dança - bem, o amor era uma palavra grande, mas ainda assim. . .
    "Espero que ela esteja lá hoje à noite", pensou ele, no bonde para a cidade.
    E foi assim. A banda tocou “Que coisa é essa, chamado amor”, e em seus braços, ela disse que era um belo terno. "Sim, o homem tem um bom corte", disse Bram.
    Foi uma noite agradável. Eles dançaram muito, mas, passaram algumas vezes, uma dança para falar: ela do escritório, onde trabalhou com uma patroa insuportável, e ele dos traços finos dos contratos de seguro, onde ganhava seu pão.

    Quando a sala de dança fechou, ele a levou para casa pela primeira vez, mas o clima era tão legal, que era óbvio.
    " - Fique aqui", disse ela.

    " - Se você gosta de café, você pode subir, com toda a honra e respeito, evidentemente, mas, silenciosamente nas escadas, para não acordar a senhora."

    Entraram com seus dedos para cima, dando risadinhas suprimidas.
    “ - Então poderemos andar normalmente,” ela disse, quando eles estiverem no seu quarto.
    “ - Você tem a decoração engraçada,” ele achou.
    " - Todas as coisas são herança paterna,” ela respondeu.

    “ - Sente se. Preciso de um minutinho para fazer café”.
    Ela dirigiu-se a cozinha pequena. De bom humor, Bram caminhou para o quarto.

    Ela era verdadeiramente uma moça gentil e de aparência bonita.
    “ - Olhe”, ele disse, "antigamente meus pais tinham um mesmo piano. Assim mesmo, também com esses pilares esquisitos de cada lado”.
    “ - Você o toca de vez em quando?”, ela saiu para fora da cozinha.

    “ - Não, pois não o tenho mais,”ele disse.

    “ - Nossa casa fora bombardeada”, é assim que eles o chamavam na guerra.

    Continuação: dor de passada 2

     

    Write a correction

    Please enter between 25 and 8000 characters.

     

    More notebook entries written in Portuguese

    Show More