Site Feedback

Minha primeira história curta!

 

Era uma vez, há muitos anos, um velho que trabalhava nos campos da sua fazenda. Todos os dias ele tinha de alimentar os animais e lançar as novas sementes. Um dia, quando ele estava para acertar o trator, começou a chover. O velho decidiu que haja de conseguir o trabalho na sua frente e gritou ao céu, "Pare com isso! Você não pode ver que eu estou trabalhando aqui?"

Logo depois, a chover acabou e o sol voltou e vem esquentar a terra. O dia se virou muito quente.

Novamente o velho ficou com raiva e gritou ao céu, "Pare com isso! Você deve ser vergonhado! Se eu fosse você teria piedade pelas pessoas velhas!"

Mas o sol conhece este homem muito bem. Sempre ele estava assistindo-o enquanto o velho tratou ruim seus funcionários, e agora o sol andou a concluir o que ele vai fazer.

Aquela noite, o velho estava a dormir quando o luar entrou a sua janela e levou-o para o céu.

Até hoje, ele fica lá perceber que devou pensar em as capacidades do sol e os amigos dele mais. Então a proxima vez que você grita a alguém, dar um pensamento para o Homen-na-Lua...

Share:

 

4 comments

    Please enter between 0 and 2000 characters.

     

    Corrections

    Minha primeira história curta!

    Era uma vez, há muitos anos, um velho que trabalhava nos campos da sua fazenda. Todos os dias ele tinha de alimentar os animais e lançar as novas sementes. Um dia, quando ele estava para acertar o trator, começou a chover. O velho decidiu que haja tinha de conseguir o trabalho na sua frente e gritou ao céu, "Pare (lá) com isso! Você não pode ver que eu estou trabalhando aqui?"
    Pare lá com isso OR pare com isso. The first way is a form more widely used in Portugal.

    Logo depois, a chover chuva (you must put a noun here, not a verb) acabou e o sol voltou a esquentar a terra. O dia se virou tornou-se muito quente.

    Novamente, o velho ficou com raiva e gritou ao céu, "Pare com isso! Você deveria ser estar (the verb ESTAR indicates a temporary condition, that's why it's used here) envergonhado! Se eu fosse você teria piedade pelas pessoas velhas!"

    Mas o sol conhece este homem muito bem. Sempre ele estava assistindo-o Ele sempre o ("o": in this case it is a "pronome pessoal do caso oblíquo". It represents the "velho" when it is an object) observava enquanto o velho tratou mal ruim (ruim is an adjective. You want to modify a verb, so you should use an adverb) seus funcionários, e agora então o sol andou a concluir concluiu o que ele vai deveria (you have a conditional situation stated here, so you should put the verb in the "pretérito do subjuntivo") fazer.

    Aquela noite, o velho estava a dormir (a dormir is perfectly correct in Portugal. In Brazil we preferably write dormindo) quando o luar entrou a pela sua janela e levou-o para o céu.

    Até hoje, ele fica lá perceber que devou pensar em as capacidades do sol e os amigos dele mais. Então a proxima vez que você grita a alguém, dar um pensamento para o Homen-na-Lua... (I prefer not to correct this last sentence once it haven't become very clear for me)

    Parabéns pelo esforço! Não desanime e , se precisar de algo, conte comigo.

    Minha primeira história curta!

    Era uma vez, há muitos anos atrás, um velho que tirava seu sustento dos campos de sua fazenda. Todos os dias, ele alimentava seus animais e plantava novas sementes. Certo dia, quando ele estava prestes a usar o trator (ligar, dar partida no trator), começou a chover. Mas ele estava decidido a trabalhar aquele dia e gritou (exclamou) aos céus, "Páre com isso! Não tá vendo que to aqui trabalhando?"

    ~ "ta" e "to" não existe na escrita, mas é muito comum na "fala" ~

    E, subitamente, a chuva parou e o sol voltou a aquecer a terra. E o dia virou, ficando muito quente.

    Novamente, ou velho zangou-se, irritou-se, e bradou aos céus, "Páre com isso! Você devia ficar envergonhado (de si mesmo-opcional)! No seu lugar, eu teria piedade de pessoas velhas! (ou idosas)"

    Mas o sol conhecia este homem muito bem. Sempre o assistia enquanto o velho maltratava seus funcionários, e agora o sol ia dar cabo (terminar, concluir, dar continuidade) ao que estava prestes a fazer. (ao que ia fazer - para simplificar)

    Aquela noite, enquanto o velho dormia, a lua entrou em sua janela (ou pela janela) e o levou até o céu (ou, e o levou aos céus).

    Até hoje, ele se arrepende de não ter sido grato ao sol e aos seus amigos. Moral da história, a próxima vez que gritar pra alguém, lembre-se do homem-na-lua.

    Mais um sugestão

    Minha primeira história (estória) curta!

    Era uma vez, há muitos anos, um velho que trabalhava nos campos da sua fazenda. Todos os dias ele tinha de alimentar os animais e lançar (semear) as novas sementes. Um dia, quando ele estava para acertar (ligar, iniciar, começar a trabalhar com, concertar) o trator, começou a chover. O velho decidiu que havia de conseguir realizar o trabalho a sua frente e gritou ao céu:
    -Pare com isso! Você não pode ver que eu estou trabalhando aqui?

    Logo depois, a chuva acabou (parou) e o sol voltou e veio esquentar a terra. O dia tornou-se muito quente.

    Novamente o velho ficou com raiva e gritou ao céu:
    - Pare com isso! Você deve (deveria) ficar envergonhado! Se eu fosse você, teria piedade pelas pessoas velhas (idosas ou mais velhas)!

    Mas o sol conhece este homem muito bem. Ele sempre estava assistindo-o enquanto o velho tratava mal seus funcionários, e agora o sol andava a decidir o que ele ia fazer.

    Aquela noite, o velho estava a dormir quando o luar entrou por sua janela e levou-lhe (o velho) para o céu.

    Até hoje, ele fica lá para perceber que deveria pensar mais na capacidade (no poder) do sol e dos amigos dele. Então da (na) proxíma vez em que você gritar com alguém, pense no Homem-na-Lua... (ou envie um pensamento ao Homem-na-lua.)

    Muito bem!
    Bom uso dos tempos compostos.

    A minha primeira história curta!

    Há muitos anos atrás  um velho,que trabalhava todos os dias nos campos da sua fazenda, tinha de alimentar os animais e lançar as novas sementes. Um dia, quando ele estava a preparar o trator, começou a chover. O velho decidiu que tinha de levar avante o trabalho que tinha pela frente e gritou ao céu, "Pare lá com isso! Você não pode ver que eu estou trabalhando aqui?"
    Logo depois parou de chover, o sol voltou e a terra começou de novo a aquecer. O dia tornou-se muito quente. 
    O velho ficou com raiva e gritou de novo ao céu, "Pare com isso seu desavergonhado! No seu lugar   teria piedade pelas pessoas velhas!"
    Mas o sol conhece muito bem este homem. Presenciou vezes sem conta a forma rude como este velho tratava  os seus funcionários,e concluiu que a melhor forma  era puni-lo. 
    Uma noite,enquanto o velho dormia, o luar entrou pela janela do quarto  e levou-o para o céu.
    Só agora percebeu que não se pode duvidar das capacidades do sol nem tratar os amigos e subordinados da maneira que ele o fazia,e sugere até que nem grite contra a natureza.

    Minha primeira história curta!

    Era uma vez, há muitos anos, um velho que trabalhava nos campos da sua fazenda. Todos os dias ele tinha de alimentar os animais e lançar as novas sementes. Um dia, quando ele estava para acertar o trator, começou a chover. O velho decidiu que haja de conseguir o trabalho na sua frente e gritou ao céu, "Pare com isso! Você não pode ver que eu estou trabalhando aqui?"

    Logo depois, a chuva chover  (usar substantivo e nao verbo) acabou e o sol voltou e veio vem (tempo errado do verbo) esquentar a terra. O dia se virou (uso de verbo errado, o ideal seria "tornou") muito quente.

    Novamente o velho ficou com raiva e gritou ao céu, "Pare com isso! Você deve ser (estar) vergonhado! Se eu fosse você teria piedade pelas pessoas velhas!"

    Mas o sol conhece este homem muito bem. Sempre ele estava assistindo-o enquanto o velho tratou ruim (use "mal" pois "ruim" é adjetivo e não advérbio) seus funcionários, e agora o sol andou a concluir o que ele vai fazer.

    Aquela noite, o velho estava a dormir quando o luar entrou a sua janela e levou-o para o céu.

    Até hoje, ele fica lá perceber (não se usa verbos no infinitivo nesse caso) que devou pensar em as capacidades do sol e os amigos dele mais. Então a proxima vez que você grita a alguém, dar um pensamento para o Homen-na-Lua... (esse ultimo parágrafo está muito estranho)

    Write a correction

    Please enter between 25 and 8000 characters.

     

    More notebook entries written in Portuguese

    Show More