Site Feedback

Talvez seja na hora de pegar minha caneta...

Gente, faz um tempão que eu não escrevo um texto aqui. Talvez seja na hora de pegar minha caneta e de aproveitar do meu vocabulário aumentado para colocar na página meus últimos pensamentos sobre a aprendizagem de uma língua nova. Eu digo meu vocabulário aumentado mas, na realidade, apesar de ler todas as manhãs em português e de fazer uma grande quantidade de notas, até nós tentarmos escrever algo, não descobrimos que nossos esforços têm benefícios ou têm sido em vão. Embora eu diga minha caneta, estou falando metaforicamente, claro que quero dizer meu computador. Talvez seja na hora de ligar meu computador não soa tão poético. Além disso, eu trabalho com computadores e a coitada máquina vive ligada. Estou me sentado na sofá com meu notebook no colo escutando uma forte chuva, que não está mostrando sinal de passar, batendo a janela piedosamente atrás de mim. Tão diferente dos dias ensolarados do verão que agora parece bem esquecidos. Bom, tal é a vida no Reino Unido nesse tempo do ano. Mas, voltando aos meus pensamentos à respeito dos meus estudos da língua portuguesa. Passei a perceber que o processo de aprendizagem nem sempre corre de acordo com o esperado. Há momentos altos e baixos, e de claridade e de confusão, mas não me arrependo de começar esta aventura. Acho que minhas tentativas de falar esta língua progrediram. No passado, eu anda balbuciando hesitantemente e cometendo erros básicos, mas agora, fico mais à vontade com a língua. Hoje em dia, consigo me expressar bem, mas achei que meu português falado ficaria enferrujado rapidamente se tivesse passado mesmo um tempinho sem bater papo com meus amigos. Também achei que o jeito de praticar tem um grande efeito sobre o progresso resultante. Na minha opinião, é necessário começar cada conversa com uma ideia clara de seus objetivos, e tentar sair sua zona de conforto sem ter medo de cometer erros. Normalmente tenho uma curta lista de novas palavras ou de expressões que quero usar. Eu tento contar uma história ou coisa assim. Enquanto isso, meu parceiro faz algumas notas para nós discutirmos depois. Acho melhor fazer poucos comentários na hora de falar. Melhor evitar interrompenndo a toda custa, e adiar seus pensamentos e observações até mais tarde para manter o fluxo e ritmo do falante. Eu estaria interessado em ouvir de suas ideias à respeito disso se você estivesse disposto a dá-las.Talvez você tenha algumas dicas ou sugestões?

Share:

 

4 comments

    Please enter between 0 and 2000 characters.

     

    Corrections

     

    Para perceber as principais diferenças entre o Português Brasileiro e europeu: http://answers.yahoo.com/question/index?qid=20130916083803AAh1Gci

     

    Talvez seja esteja na hora de pegar apanhar a minha caneta...

    Gente, faz um tempão  muito tempo (tempão não existe em Portugal) que eu não escrevo um texto aqui. Talvez seja a na hora de pegar a minha caneta e de aproveitar do o meu vocabulário aumentado para colocar na página os meus últimos pensamentos sobre a aprendizagem de uma língua nova. Eu digo o meu vocabulário aumentado mas, na realidade, apesar de ler todas as manhãs em português e de fazer uma grande quantidade de notas, até nós tentarmos escrever algo, não descobrimos que se os nossos esforços têm benefícios ou têm sido em vão. Embora eu diga a minha caneta, estou falando a falar metaforicamente, claro que quero dizer meu computador. Talvez seja esteja na hora de ligar o meu computador não soa tão poético. Além disso, eu trabalho com computadores e a coitada da máquina vive ligada. Estou me sentado na no sofá com o meu notebook no colo escutando uma forte chuva, que não está mostrando sinal de passar, batendo a na janela piedosamente atrás de mim. Tão diferente dos dias ensolarados do verão que agora parecem bem esquecidos. Bom, tal é a vida no Reino Unido nesse tempo neste altura do ano. Mas, voltando aos meus pensamentos à a respeito dos meus estudos da língua portuguesa. Passei a perceber que o processo de aprendizagem nem sempre corre de acordo com o esperado. Há momentos altos e baixos, e de claridade e de confusão, mas não me arrependo de começar esta aventura. Acho que as minhas tentativas de falar esta língua progrediram. No passado, eu andava balbuciando hesitantemente e cometendo erros básicos, mas agora, fico mais à vontade com a língua. Hoje em dia, consigo me expressar-me bem, mas achei que meu português falado ficaria enferrujado rapidamente se tivesse passado mesmo um tempinho sem bater papo(não existe em portugês) conversar com meus amigos. Também achei que o jeito de praticar tem um grande efeito sobre o progresso resultante. Na minha opinião, é necessário começar cada conversa com uma ideia clara de dos seus objetivos, e tentar sair da sua zona de conforto sem ter medo de cometer erros. Normalmente tenho uma curta pequena lista de novas palavras ou de expressões que quero usar. Eu tento contar uma história ou coisa assim. Enquanto isso, o meu parceiro faz tira algumas notas para nós discutirmos depois. Acho melhor fazer poucos comentários na hora de falar. O Melhor é evitar interrompenndor a toda custao, e adiar os seus pensamentos e observações até mais tarde para manter o fluxo e ritmo do falante. Eu estaria interessado em ouvir de as suas ideias à a respeito disso se você estivesse disposto a dá-las.Talvez você tenha algumas dicas ou sugestões?

    Talvez seja na hora de pegar minha caneta...

    Gente, faz um tempão que eu não escrevo um texto aqui. Talvez seja a na hora de pegar minha caneta e de aproveitar do meu vocabulário aumentado para colocar na página meus últimos pensamentos sobre a aprendizagem de uma língua nova. Eu digo meu vocabulário aumentado mas, na realidade, apesar de ler todas as manhãs em português e de fazer uma grande quantidade de notas, até nós tentarmos escrever algo, não descobrimos que nossos esforços têm benefícios ou têm sido em vão. Embora eu diga minha caneta, estou falando metaforicamente, claro que quero dizer meu computador. Se eu escrevesse talvez seja na hora de ligar meu computador não soaria tão poético. Além disso, eu trabalho com computadores e a coitada da máquina vive ligada. Estou me sentado na sofá com meu notebook no colo escutando uma forte chuva, que não está mostrando sinal de passar, batendo a janela piedosamente atrás de mim. Tão diferente dos dias ensolarados do verão que agora parecem bem esquecidos. Bom, tal é a vida no Reino Unido nesse tempo do ano. Mas, voltando aos meus pensamentos à respeito dos meus estudos da língua portuguesa. Passei a perceber que o processo de aprendizagem nem sempre corre de acordo com o esperado. Há momentos altos e baixos, de claridade e de confusão, mas não me arrependo de começar esta aventura. Acho que minhas tentativas de falar esta língua progrediram. No passado, eu andava balbuciando hesitantemente e cometendo erros básicos, mas agora, fico mais à vontade com a língua. Hoje em dia, consigo me expressar bem, mas achei que meu português falado ficaria enferrujado rapidamente se tivesse passado, mesmo um tempinho, sem bater papo com meus amigos. Também achei que o jeito de praticar tem um grande efeito sobre o  resultante progresso. Na minha opinião, é necessário começar cada conversa com uma ideia clara de seus objetivos, e tentar sair da sua zona de conforto sem ter medo de cometer erros. Normalmente tenho uma curta lista de novas palavras ou de expressões que quero usar. Eu tento contar uma história ou coisa assim. Enquanto isso, meu parceiro faz algumas notas para nós discutirmos depois. Acho melhor fazer poucos comentários na hora de falar. Melhor evitar interrompendo a toda custo, e adiar seus pensamentos e observações até mais tarde para manter o fluxo e ritmo do falante. Eu estaria interessado em ouvir de suas ideias à respeito disso se você estivesse disposto a dá-las.Talvez você tenha algumas dicas ou sugestões?

    Write a correction

    Please enter between 25 and 8000 characters.

     

    More notebook entries written in Portuguese

    Show More