Site Feedback

UMA HISTÓRIA ALENTEJANA

Quando a orquestra cigana chegou a Estremoz, o senhorio Paulo Oliveira era uma das mais ricas pessoas da nossa região. O solo das suas herdades e as suas cavalariças eram muito férteis, as suas vacas e ovelhas eram da melhor qualidade e portanto a sua propriedade era conhecida em todo do Alentejo. Haviam rumores que ele começara a jogar aos dados, depois da morte da sua jovem esposa Maria e portanto frequentemente ia para Estremoz. Nunca falava sobre isso e ninguém lhe perguntava. O povo cada vez mais falava que o Senhorio ia para Estremoz devido à saia vermelha da cigana Rosa, a cantora da orquestra colorida, e não por o jogo de cartas. Num dia de Fevereiro, enquanto o vento assobiava através do Alentejo, desapareceu de Estremoz o grupo dos ciganos e o sorriso brilhante da sua Rosa. E desde esse dia cresceu a erva no monte do senhorio Paulo Oliveira, que agora ninguém cultiva. Onde é que está o senhorio Oliveira agora, ninguém sabe nem os seus rendeiros.

Share:

 

0 comments

    Please enter between 0 and 2000 characters.

     

    Corrections

    Belo texto e muito bem escrito! Apenas um detalhe: na frase " Haviam rumores que ele começara a jogar aos dados [...]" o correto é "Havia rumores", pois o verbo haver, no sentido de existir, fica impessoal. 

    Write a correction

    Please enter between 25 and 8000 characters.

     

    More notebook entries written in Portuguese

    Show More