Check out our updated Community
The Polyglot Guy
A Escravidão de Um Ensino Atrasado

Quando se trata do ensino em geral podemos dizer que cada país tem a sua cota de culpa, mas quando se trata de idiomas em geral eu ainda me pergunto como muitas pessoas com o famoso acesso ""www.eaí?." todos os dias ainda sofrem quando se trata de aprender ou progredir em um novo idioma ou em outro tipo de conhecimento.

Eu aprendi mais fora da escola através da minha própria curiosidade do que com tudo que tentaram me fazer estudar...

Muitos ainda acreditam nas promessas:

"Aprenda um novo idioma em 3 meses".
Por acaso você acha que vai se tornar fluente tendo aula só 2 vezes por semana? (sim, porque a maioria só lembram que o idioma existe quando estão no curso).

"O aluno já começa a falar no primeiro dia de aula."
Desde quando alguém fala o que nunca ouviu? Tudo tem um certo período e isso se chama "teoria (a fase da compreensão) e depois a prática"

"Usamos só materiais de nível nativo, etc."
Com certeza, um CD para introduzir o texto da nova unidade e depois vem o professor respirando a gramática usando o idioma oposto daquele que se está estudando.

Comecei a estudar Inglês com um professor, um dos melhores que já conheci, infelizmente devido a problemas de saúde ele teve que se ausentar, mas lhe confesso que foi a melhor coisa que me aconteceu porque prometi a mim mesma que não iria deixar esse curso inacabável e isso me fez caminhar com as minhas próprias pernas. Lembrando: isso foi em 2001 e eu não tinha um terço do que temos hoje em dia. Lembra da internet discada?

Cada idioma é único e por isso sempre que eu decido aprender um novo eu nunca me apego ao método anterior, eu só preciso conhecê-lo um pouco mais para ir percebendo quais serão as minhas necessidades (só compro um dicionário e isso porque AMO eles). O mesmo acontece com cada aluno e é por isso que muitos sofrem porque o sistema nunca muda, padronizado ao extremo, não observam os alunos que tem para depois fornecer a cada grupo o que vai realmente lhe dar prazer quando estiver estudando, não incentivam o aluno a continuar "explorando" e reforçando o motivo do porque ele está na aula, não ajudam o aluno a caminhar por ele mesmo sempre que está fora do curso e deixando bem claro que o professor é apenas o seu auxiliar e não aquele que tem que mastigar a informação para o aluno absorver e ir embora.

Conheço unidades com duração de 4 anos para se formar, isso mesmo, para que fazer faculdade se você pode jogar o seu dinheiro fora aprendendo algo que poderia ser feito no máximo dois anos? Ou até menos dependendo do idioma e sem contar aqueles que ainda saem com um nível pré-avançado. 

Desculpe a minha sinceridade, mas eu não tenho mais estômago para estudar nesse tipo de escola, ainda mais hoje em dia com tanta coisa ao meu redor onde eu as transformo em ferramentas. Esse são os meus materiais:

Dicionário - amo e vive sempre ao meu lado.
Tablet - para usar todos os Pdfs que encontro.
Kindle  - para praticar a leitura, até por que eu sou uma bookworm.
Computador - para praticar, pesquisar, estudar...
Internet - preciso explicar?

Enquanto as pessoas continuarem achando que serão os outros que farão tudo por elas, nunca irão progredir, afinal, para que pegar e descascar fruta por fruta para uma salada saudável se eu posso comprar um suplemento (química pura), via pastilhas e ingeri-lás em menos de 5 minutos?

Você não acha estranho um poliglota dominar várias línguas estudando sozinho enquanto você com apenas uma não consegue sentir o que se passa na sala de aula?

Aluno - aquele que assiste a aula com outras pessoas - passivo.
Estudante - aquele que estuda sozinho dando continuidade sobre o que iniciou com o professor - ativo.

Querido professor: Eu lhe respeito muito e por isso lhe peço para que questione se a sua paixão pelo ensino fala mais alto que o seu pagamento mensal, uma coisa bem feita não precisa segurar o aluno anos e anos, uma coisa bem feita faz o próprio aluno desejar estar sempre lá, uma coisa bem feita dar liberdade para o novo ser explorado e bem vindo, um professor que realmente valoriza o seu trabalho não precisa viver nas correntes de um método doloroso, pelo contrário, é ele que tem esse poder de mudança.

Resolvi iniciar essa discussão para compartilhar o meu ponto de vista sobre as coisas que não mudam, alguns questionam e mesmo assim muitos guardam para si,  para mostrar que também estou de acordo com vários vídeos que assisti sobre esse tema e para entender um pouco o lado de cada um, aluno e professor.

Obrigada!

Sep 11, 2016 11:19 AM
Comments · 0
No comments yet
The Polyglot Guy
Language Skills
English, Italian, Portuguese
Learning Language